segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Agora...

Exitem tantas coisas que eu jamais serei capaz de encontrar, mas existem tantas outras que eu nem preciso procurar. Elas estão guardadas dentro de mim desde sempre, e eu não preciso explicar isso,não agora, saber da existência desses sentimentos já me deixa forte o suficiente novamente.
Eu posso correr pelo mundo sem ter que seguir qualquer caminho, a liberdade não tem fim nem começo, eu viveria para te encontrar e te dizer que por mais que acreditássemos, tudo isso nunca foi em vão, eu não me importo o quanto tenha sido repetitivo, o que ta feito ta feito!
Eu não preciso correr, agora posso olhar para o mar com muita calma e ver o quando tempo perdi com medo de mim mesma, com medo de ver a imensidão sem fim que hoje me chama para viver com ela, pela primeira vez me entregarei e não voltarei atras. Continuarei com essa calma por tantos outros sonhos com você e mesmo que eu grite: QUE EU IREI AO SEU ENCONTRO! você não irá me ouvir, e tudo relacionado a você será confuso dentro de mim. Só agora eu posso ver, mas não posso ter!
Não me arrependo do que fiz, só reconheço que não sou mais a mesma pessoa que já fui, agora eu só preciso de coisas que não sei mais nomear, será que é amor?
Não me preocupo com isso, nem com aquilo. Temos todo o tempo do mundo para errar e para deixar tudo isso para trás. No fundo o que eu quero agora, amanhã já não irei querer mais.
Agora que você não está aqui, eu não sei o que eu quero!

Nenhum comentário:

Postar um comentário