quarta-feira, 8 de junho de 2011

Vertigem...



" Olhei para o mundo ao meu redor e não reconheci nada, nada pertencia-me, nenhuma parte de minha vida fazia diferença no mundo na qual eu estava. Eu estava sozinha na multidão, tudo continuava me confundindo enquanto o mundo corria em muitas direções distintas e indescritíveis, não houve explicações para isso, não temos tempo para perder com sensações inexplicáveis e confusas.

Eu tentei correr, foi em vão, não fui capaz de encontrar a minha própria direção, então eu tive uma ideia, talvez eu deva segui-los, talvez segui-los fosse mesmo a solução, isso era o que ainda tínhamos em comum. Eu a repeti por tantas vezes que cheguei a acreditar nela, mesmo não sabendo qual era o proximo passo continuei a seguir, e mesmo sem nenhum sentido percorri caminhos até que longos.

Depois de um tempo acabei por perceber que sem a multidão não iria dar mais pra seguir, e agora quem eu serei? Talvez sozinho eu não consiga dar mais nenhum passo, a vertigem estaria explicita e eu naõ conseguiria continuar. Parecia ser tarde,e impossivel decidir minha própria direção.

Afastei-me, fui pra longe da multidão, eu não consegui me manter em pé, não estive lúcida e nem forte suficiente para ser eu mesma , tentando percorrer meu proprio caminho.

Tentar não vai ser sulficiente, eu terei que me enganar, e quem disse que não conseguirei, é só reencontra-los e segui-los."




vertigem



s. f.


1. Sensação ilusória de movimento do corpo ou movimento à volta do corpo. = delíquio, tontura, vágado


2. Fig. Tentação súbita; acto! descontrolado ou irreflectido!, súbito e irresistível pela sua própria força e instantaneidade.


3. Capricho, fantasia, desejo irresistível.













Obs: Eu sempre acreditarei que personalidade é Tudo!!! Pra que seguir o que o mundo quer que você siga??

Nenhum comentário:

Postar um comentário